Conheça os equipamentos que mais geram gasto de energia nas empresas

Por: bolt
  • Economia energética


De acordo com um estudo apresentado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), a energia elétrica é um insumo fundamental e estratégico da maioria das empresas. Sendo assim, 40% do custo de produção se deve ao gasto de energia. Porém, é possível reduzir essa porcentagem por adotar estratégias de eficiência energética. A começar pelos equipamentos que a organização utiliza.

Neste artigo, mostraremos o impacto que o consumo de determinados equipamentos têm sobre o orçamento da empresa. Veremos também como diminuir esse consumo. Acompanhe nosso artigo!

Por que se preocupar com a eficiência dos equipamentos?

A principal razão para dar atenção a eficiência energética dos equipamentos é o favorecimento da redução da conta de energia. Desde 1985, a Centrais elétricas Brasileiras (Eletrobras) criou o Programa Nacional de Energia Elétrica (PROCEL) que tem como finalidade implantar uma política de conservação do consumo de energia elétrica.

De acordo com o livro “Conservação de Energia: Eficiência Energética de Equipamentos e Instalações”, escrito por Milton Marques, Jamil Haddad e André R.S. Martins, entre as metas do PROCEL está o incentivo ao uso de equipamento com alta eficiência.

Por isso, existe o selo PROCEL, que ajuda o consumidor final a obter informações relevantes sobre o gasto de energia dos mais diversos equipamentos. Quando a escala do selo PROCEL está no nível A, significa que o equipamento tem boa eficiência energética.

O resultado dessa prática é apresentado todos os anos em um relatório feito pelo Centro Brasileiro de Informação de Eficiência Energética (PROCELINFO). No último estudo, mostrou-se que 23 bilhões de KWh foram economizados. Com certeza, esse número abrange as empresas que além de contribuírem para a diminuição do consumo de energia, aumentam os seus lucros financeiros com essa redução.  

Quais equipamentos consomem mais energia?

Sem dúvidas, as empresas têm muitos equipamentos que podem elevar a conta mensal de energia elétrica. Principalmente devido ao fato de que esses aparelhos ficarem ligados longas horas diárias. Mas quais são os principais vilões de energia e como diminuir o consumo deles? Vejamos a seguir.

Ar-condicionado

O ar-condicionado é essencial nas empresas, afinal o desconforto térmico no Brasil é muito grande nos meses do verão. Geralmente, um aparelho de refrigeração de 12.000 btus consome 25 KWh/mês se ficar ligado uma hora por dia. Se aumentarmos esse tempo para quatro horas, o consumo será de 100 KWh/mês.

No entanto, a maioria das organizações funcionam, em média, oito horas por dia. Então, aumentaremos esse número para 200 KWh/mês. Digamos que o custo do KWh seja de R$ 0,52 e o bandeira tarifária esteja em amarelo acrescentando R$ 1,43 para cada 100 KWh consumidos. Nesse caso, a empresa pagaria no fim do mês R$ 106,86 mais as tarifas de energia só com o consumo de um ar-condicionado – geralmente o número de aparelhos é muito maior.

No entanto, existem algumas medidas que podem ser tomadas para reduzir esse gasto. Por exemplo:

  • a manutenção regular do aparelho;
  • a limpeza periódica dos filtros;
  • instalar cortinas quebra-sol que impedem o aumento da temperatura interna;
  • vedar bem as portas e janelas para evitar a entrada de ar quente;
  • fazer uso da ventilação cruzada;
  • utilizar brises que regulam a incidência da luz solar;
  • a instalação de um teto verde.

Se todas ou algumas dessas dicas forem seguidas e o ar condicionado tiver o selo PROCEL nível A, com certeza a diferença no gasto de energia será bem grande.

Dispositivos tecnológicos

Pode parecer que não, mas os computadores de mesa e os notebooks podem encarecer a conta de energia. O mesmo acontece com os celulares, tablets e outros dispositivos eletrônicos. A razão para isso é que muitos desses aparelhos ficam sempre ligados na tomada por meio dos carregadores.

Por exemplo, um computador de mesa gasta em média 21 KWh no modo standby e 80 KWh quando ligado. Já os notebooks consomem 15 kWh mesmo quando em inatividade. Por outro lado, os tablets e celulares conectados na energia pelo carregador, mesmo depois de recarregados, gastam entre 1 a 5 KWh. E se esquecermos o carregador na tomada sem que esteja alimentando a bateria de um dispositivo eletrônico?

O consumo médio é de 0,26 KWh. Por isso, o melhor a fazer é desconectar das tomadas os dispositivos que não estejam sendo utilizados. Para ter certeza do gasto energético de diversos equipamentos da empresa, basta utilizar a fórmula: consumo = (potência em watt/1000) x (tempo) número de horas = total em KWh.

Agora, se você deseja diminuir o gasto de energia na sua empresa e não se preocupar mais com tarifas e bandeiras, entre em contato com os especialistas da Bolt Energia. Assim, o único número que subirá será o da lucratividade!


Artigo escrito por bolt

você também vai gostar de ler